Armação contra João Rufino parte III. A verdade sobre o vídeo na Casa de Saúde. ConfirAgora!

117

Já a algum tempo estávamos na expectativa de mostrar para toda população a verdade sobre o fato ocorrido na Casa de Saúde, onde em um vídeo, aparece o Prefeito João Rufino, supostamente entregando R$ 400,00 reais na mão do Sr. Marcelo da Dê, testemunha do processo de cassação.

Esta história, como tem sido contada por ai, inclusive na versão que foi passada para um programa de televisão, dá a entender que João “deu dinheiro” a Marcelo para que ele não falasse em juízo contra ele.

E na televisão, isso é até afirmado, ou seja, que “João deu este dinheiro e a testemunha não teria prestado seu depoimento”… Mas se enganaram ou não buscaram os dois lados da história, como todo jornalista imparcial deveria fazer, pois mesmo assim ele foi depôr! Todos sabem disso.

Mas então o que realmente aconteceu?

Porque mesmo tendo recebido ajuda ele prestou depoimento contra João Rufino?

Leia até o fim e você vai entender!

Em conversa havida com a Assessoria de João Rufino, e agora, com mais informações que chegaram ao nosso conhecimento, iremos explicar, de acordo com a defesa de João, o que realmente se deu naquele dia na Casa de Saúde.

Acontece que a principal testemunha, Marcelo da Dê, passou todo o período da campanha eleitoral, e até antes desta, pedindo “ajuda” a várias pessoas ligadas a campanha, hora pedindo serviço na prefeitura, ora pedindo dinheiro.

Mas as pessoas ligadas a campanha já haviam tomado conhecimento de que ele “ia e vinha” levava e trazia conversa.

Vale antes lembrar, que Marcelo está envolvido neste processo porque trabalhou no Supermercado Fonseca, na função de entregador, e como aquele supermercado venceu a licitação para entrega de cestas básicas, era por lá que eram fornecidas cestas para as famílias cadastradas na Assistência Social. Todas as cestas fornecidas foram entregues de forma totalmente legal para famílias devidamente cadastradas.

Marcelo da dê e sua família, foram declarados apoiadores do candidato Gentil durante as eleições, mas após a derrota de Gentil, e ver que o “barco afundou”, passou então a mandar mensagens para pessoas ligadas a João Rufino, pedindo serviço na prefeitura e “ajudas” em dinheiro.

Questionamos a defesa de João Rufino, se eles poderiam nos esclarecer tais fatos, foi quando então conseguimos acesso a documentos e conversas de Whatzap havidas entre Marcelo e o Sr. José Geraldo Júnior, onde a todo momento Marcelo pede a Geraldo que o ajude com R$ 400,00 reais para pagar uma pensão alimentícia.

Tivemos acesso também ao mandado recebido por Marcelo, onde ele é intimado a pagar a pensão no prazo de 3 dias, o qual ele mesmo enviou via mensagem para comprovar que os R$ 400,00 reais, efetivamente era para quitar uma pensão, veja:

Marcelo afirmava a todo momento, que estava desempregado desde dezembro, passando a pedir emprego e dinheiro, sendo que uma destas ajudas, no valor de R$ 400,00 reais, era para que ele pudesse quitar a dívida acima, proveniente de uma pensão alimentícia em atraso.

..Que eu vou depositar só R$ 600,00 reais pra ela, só tenho R$200,00, ai você podia me ajuda fazendo o favor cara…

Conta simples: R$ 600,00 menos R$ 200,00 = R$ 400,00

(Lembre-se de quanto ele alega ter recebido de João na Casa de Saúde)

..eu tenho que depositar esse trem hoje, eu tô sem dinheiro…

Marcelo também tentou acesso a João Rufino diretamente, por diversas vezes, a fim de lhe pedir dinheiro e emprego. Como já dito, afirmando sempre estar desempregado e precisando de ajuda.

Foi quando então, após um pedido desesperado, que Marcelo foi informado que poderia ir até a Casa de Saúde, onde João estaria aguardando para consultar, e onde se pode perceber pelo vídeo, que haviam pessoas transitando a todo momento, ou seja, não havia porque fazer nada escondido, e ali mesmo, em frente a diversas pessoas e câmeras, João supostamente lhe entregou os R$ 400,00 (quatrocentos reais), a fim de atender seu pedido de ajuda para quitar a pensão alimentícia. Nada além.

São tantas mensagens da parte de Marcelo pedindo esta ajuda, que daria para escrever várias folhas de matéria.

João nunca lhe deu dinheiro para que saísse de Mantena a fim de não depor, e isso ele mesmo confirma em seu depoimento no fórum.

Não foi dentro de Prefeitura ou Delegacia, não foi dinheiro para não depor, não foi nada de errado, e nem em período eleitoral em troca de voto. Foi em março deste ano, dia 08, na recepção da Casa de Saúde, e na presença de todos.

Para que fiquei bem claro então.

Ele não pediu R$ 400,00 (quatrocentos reais) para não comparecer em audiência como alega, pois o valor que ele pediu posteriormente para não ir em audiência, já no dia 11/03 (dia da audiência), foram R$ 30.000,00 (trinta mil reais).

E isto é fato!

Aliás, ele mesmo já confessou ter praticado esta extorsão, ao pedir R$ 30.000,00 em seu próprio áudio, supostamente enviado ao Promotor de Justiça, onde ele confirma que, “se eles tivessem me dado o dinheiro eu não teria deposto contra ele”.  Ai está a prova. – Disse a defesa de João.

Ouça novamente abaixo o áudio de “Marcelo da Dê” supostamente enviado ao Promotor de Justiça.

…”mas infelizmente igual eu disse, eu… eu não tenho recurso próprio, eu não tenho condição financeira boa, se não teria me envolvido nisso, e vou ser sincero pro senhor eu não teria deposto contra ele, se tivesse me dado o dinheiro ou se tivesse condição de sair do Brasil, só voltaria aqui quando ele saísse do mandato…”

…”Eu não teria deposto contra ele se ele tivesse me dado o dinheiro…“ (Não R$ 400,00, mas R$ 30.000,00, que não recebeu!).

Mas isto já ficou demonstrado em outra matéria (link ao final).

Posteriormente tivemos acesso a mais dois áudios enviados diretamente do Whatszap de Marcelo, onde este com suas próprias palavras, confirma de uma vez por todas, ter pedido R$ 30.000,00 (trinta mil reais), ouça:

Estes áudios foram enviados por Marcelo no dia 26 de abril de 2021, mais de 40 dias após a audiência, quando “ficou sabendo”, que a defesa iria provar que ele praticou extorsão ao pedir R$ 30.000,00, se assustou, e em tom de ameaça, mandou estes áudios, pensando que iria amedrontar, não sabendo o mesmo que quem não deve não teme. E que tudo será levado a conhecimento da justiça como realmente aconteceu.

Resumo da questão:

Quanto então ele supostamente recebeu na Casa da Saúde?

R: R$ 400,00 dia 08/03/2021

Para que foram os R$ 400,00 reais?

R: Para pagar pensão.

Quanto ele pediu para não depor dia 11/03/2021?

R: R$ 30.000,00 (trinta mil reais)

Quanto recebeu para isso?

R: NADA

 

VEja também:

Armação contra João Rufino parte II – A principal testemunha do processo pede R$ 30.000,00 para mentir ou não depor. ConfirAgora!!

EXCLUSIVO! Vazam áudios que ligam testemunha principal de processo contra João Rufino ao ex candidato a vice prefeito Marcelo do Lico e ao próprio Gentil.